ColunistasCOLUNISTAS

Lucas Pelisari

Autor: Lucas Pelisari

Mercado de roupa infantil cresce nos últimos anos

8/4/2021 - São Roque - SP

Empreender no Brasil não é fácil. O mercado nacional apresenta certas distorções que podem enganar os empreendedores. Por isso, é importante buscar aqueles segmentos com índice de crescimento estáveis e que apresentam boas chances de lucratividade. Um exemplo disso é o de roupas para crianças. Afinal de contas, o mercado de roupa infantil cresce nos últimos anos em um nível de 6% ao ano, em média.

Existem muitas razões que explicam esse tipo de crescimento. Elas vão desde a taxa de nascimento de crianças no Brasil (que está em queda, sim, mas ainda é significativa) até o surgimento de novas tendências no segmento. Afinal, engana-se quem acha que uma loja de moda para crianças trabalha apenas com conjunto infantil e roupas sem graça. Há muita tecnologia envolvendo o setor.

E aí, quer aprender como o mercado de roupa infantil cresce nos últimos anos? Então veja a análise a seguir!

Como e por que o mercado de roupa infantil cresce nos últimos anos?

Taxa de nascimento

Uma das razões por trás do crescimento do setor de roupas infantis é, claro, a taxa de nascimento no Brasil. Atualmente, o Brasil tem uma taxa de crescimento de 0,8% da sua população por ano, numa média de 1,73 filhos por mulher. Esse valor está se estabilizando após uma longa queda, mas ainda é um montante significativo. É uma taxa que indica uma redução populacional em algum momento no futuro, mas que ainda denota um significativo número de crianças nascendo todos os anos.

Portanto, isso significa que, todos os anos, algumas milhões de crianças nascem e entram em um mercado. Essas crianças, aliás, representam muitas oportunidades de presentes e compras feitas por mães, pais, tios, tias, avós e avôs. Portanto, cada novo bebê ajuda o mercado de roupa infantil a crescer.

A melhor parte é que esse público segue no mercado por muitos anos. Ou seja: uma criança nascida hoje ainda terá 12, 13 e talvez 14 anos dentro do mercado de roupa infantil e juvenil, levando com ela todos os pais, avós, tios e tias ao redor, todos fazendo compras para aquele único bebê. É muito volume de compras.

Migração para o setor de e-commerce

O mercado de roupas infantis sempre foi tradicionalmente um segmento offline. Afinal, era necessário sentir o tecido da roupa, ver o tamanho, analisar as condições. Não é algo fácil de comprar online por causa do tamanho das crianças, em constante mudança.

No entanto, com a pandemia do novo coronavírus não houve opção para o mercado se não migrar para o digital e para os e-commerces. E isso tem sido um sopro de vida para o segmento.

Não dá para negar que os e-commerces vivem um ótimo momento atualmente, com estimativa de faturamento em 2020 na casa dos R$100 bilhões, um valor recorde. A própria adoção das lojas virtuais como meio de compra tem sido muito acima da média, com um público tradicionalmente offline passando a fazer suas compras online.

Com essa nova via, as lojas de roupas infantis passaram a expandir seus horizontes e alcançar um público maior, nacional, capaz de comprar as peças em qualquer lugar e receber pelo correio.

Novas tecnologias nas peças

As peças de roupas e conjuntos infantis estão cada vez mais tecnológicas, o que aumenta o valor dos produtos e promove um crescimento interno também. Essas tecnologias têm a ver com os materiais usados e muito mais.

Por exemplo, as roupas que crescem com as crianças ainda são muito raras e mais no estágio de protótipo, mas em breve estarão nas lojas de departamento de todo o país.

O que já está, por exemplo, são as estampas duplas: peças que tem um desenho no paetê e, quando as peças são viradas, apresentam outro desenho. Isso sem falar em tecidos anti-transpiração, anti-alergia e tantos outros recursos feitos para garantir a qualidade do sono do bebê, bem como a sua qualidade de vida.

Novas tendências

Por fim, um último elemento que ajuda a explicar porque o mercado de roupas infantil cresceu bastante nos últimos tempos é o surgimento de novas tendências na área. Um exemplo são as fantasias infantis para aniversário, que explodiram nos últimos anos.

Outro exemplo são os pijaminhas de super-heróis ou outros personagens, que permitem que os mais jovens se transformem no Super-Homem, na Elsa ou em qualquer outro personagem que ele goste para ir dormir. Isso estimula a fantasia interna.

Essa é apenas uma das tendências, mas existem muitas outras. Sempre que uma onda dessas acontece, ela movimenta bastante o mercado e gera muitas vendas, o que estimula o seu crescimento.

Esses são alguns dos principais fatores que ajudam a explicar porque o mercado de roupa infantil cresce nos últimos anos. A tendência é que o segmento continue em um bom desempenho, apesar do fato de que resultados passados não significam desempenho futuro. Mesmo assim, é possível enxergar que esse é um dos setores mais estáveis em nossa economia e que provavelmente seguirá desempenhando bem.

E aí, o que achou da possibilidade de investir no mercado de moda infantil? Comente abaixo!

 

Compartilhe no Whatsapp